sexta-feira, 25 de abril de 2014

Colhendo água do ar

       Chega a ser supreendente de tão prático e simples. 

     Quando li algo a respeito no site Hypescience,eu não me contentei e fui pesquisar algo mais. Descobri o Architecture and Vision, site de trabalho do arquiteto Arturo Vittori.


    Um dos projetos desenvolvidos por ele junto a Andreas Vogler chama-se "Warkawater" e, pasmem, faz o singelo trabalho dos deuses que orvalham as árvores e arbustos, ofertando aos poetas e românticos, insumos para suas criações. O objetivo dessa simples criação é colher água do ar e saciar a sede de quem mais precisa. Muitas pessoas questionam acerca da funcionalidade do invento, mas segundo afirmam seus criadores, ele pode absorver entre 30 e 40 litros de água em 24 horas. E o detalhe mais assustador para políticos e empresas que lucram milhões e atendem a poucos, o custo para a confecção de cada uma dessas "jarras" (9,15 metros de altura) em bambu e tecido em prolipropileno é muito pequeno em relação ao custo benefício para os necessitados.


         Para aqueles que vivem prevendo guerras sangrentas por causa da escassez de água, que desde os primórdios foi dada e não vendida à raça humana, nada como uma ideia simples, pacífica , eficiente e eficaz para saciar a sede de muitos. Arturo Vittori pretende instalar 2 dessas "jarras" na Etiópia e busca parceiros e investidores dispostos a apoiarem formas alternativas para diminuir a sede no mundo. Na África, cerca de 1 bilhão de pessoas (!) sofrem por falta de água potável.


         Em diversas áreas, projetos simples, ecológicos e que beneficiem a muitos sempre são bem-vindos. Que o "Warkawater" alcance seu objetivo.
Postar um comentário