segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Não guia politicamente incorreto pós eleições 2014

Simón Bolívar é considerado na América Latina como um herói, visionário, revolucionário, e libertador. Durante seu curto tempo de vida, liderou a Bolívia, a ColômbiaEquadorPanamáPeru e Venezuela à independência, e ajudou a lançar bases ideológicas democráticas na maioria da América Hispânica. Por essa razão, é referido por alguns historiadores como "George Washington da América do Sul" - Wikipédia.
    Os acontecimentos no Brasil, após a reeleição da presidenta Dilma Rousseff, tem revelado a cara de um país pouco conhecido.
  De uma hora para outra, pelo menos na Internet, surgiram dois tipos de eleitores: aqueles moderados, que defendem uma justiça social, sem transformar o Brasil numa carcaça de país típico de ditadores boçais e aqueles que alegam que o PT quer acabar com a nação, saquear cada brasileiro, ferrar com tudo, com todos e entregar todas as riquezas do Brasil para um Fidel Castro que está prestes a ajustar contas dos seus atos, com o imponderável, ao cruzar a fronteira da morte, mas de acordo com esse pessoal, quer levar para o além todas as fazendas, jatinhos, mansões, ações, barras de ouro, ações do Facebook dos brasileiros ricos e indefesos. Uma pena Hugo Chávez ter morrido antes, pois ele também ficaria com uma enorme fatia dessa usurpação.
   Pelo que andamos a ler na Internet, nesse segundo mandato, ainda segundo os separatistas inimigos mortais de Simón Bolívar (que segundo a História lutou pela independência da América Latina, num ato de patriotismo, sem saber o que era Comunismo ou Socialismo acadêmico), a brasileira Dilma Rousseff será responsável pelo fim da Democracia no Brasil e comandará uma invasão bolivariana sem precedentes na história do país e mudará a Constituição como fazem os ditadores, sem considerar Senadores e Deputados ( ou corromperá todos eles com charutos cubanos). Dilma será o anticristo do Brasil e detonará com tudo, expulsando os coronéis do país para Acapulco (México), Califórnia e  Las Vegas nos EUA,Dubai e outros paisinhos com PIB semelhante.
   Resta, então, aos brasileiros moderados entrar em pânico e começar a rezar ao santo de sua devoção para que Dilma não tenha sucesso em ferrar com a nação inteirinha. Que ela não consiga fazer uma lavagem cerebral em todos os que votaram nela pela continuidade dos projetos sociais importantes (pouco mais de 50 milhões de brasileiros, inclusive esse que escreve e não acredita em ideologia partidária alguma, nem considera herói qualquer membro de partido). Ó Pai, fazei com que a Presidenta esqueça seus terríveis planos para acabar com o Brasil, ou entregá-lo (sem qualquer resistência dos que amam a pátria livre, mas desejam justiça social, distribuição de renda, moradia, emprego, educação e saúde para todos os brasileiros que precisam de serviço público) a qualquer moribundo. Que Dilma cumpra a Constituição como fizeram todos os outros presidentes que juraram antes dela e teve quem morreu e quem renunciou. 
   Alguns falam em improbidade administrativa. Havendo provas irrefutáveis, cabe o julgamento de qualquer Servidor Público. Quantos processos por improbidade administrativa tramitam na Justiça atualmente? Quem é réu nesses processos? Quantos senadores, desembargadores, deputados, banqueiros, empresários de empreiteiras que participam de licitações, desde o início das eleições diretas, têm contas em paraisos fiscais?
    Aos brasileiros que odeiam o Partido dos Trabalhadores, resta a esperança de que as profecias comunistas-comedoras de criancinhas e socialistas do inferno não se cumpram. Deve ser porque o diabo folclórico é retratado sempre de vermelho.
   Aos brasileiros moderados, resta a esperança de que a presidenta reeleita seja uma boa menina, cumpra o seu mandato de 4 anos e execute somente o seu projeto de governo naquelas ações que podem beneficiar qualquer um que precisa de serviços públicos. E que ela não tente enganar  seus eleitores sob o risco de passar para a história como uma cidadã medíocre, entreguista do patrimônio público e imperialista como políticos de boa parte do mundo que conhecemos...

Postar um comentário