domingo, 29 de janeiro de 2012

Filme mostra momentos de desencontros e encontros do U2 - Divirta-se





Filme mostra momentos de desencontros e encontros do U2 - Divirta-se

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Neve de Orhan Pamuk



www.LivrosGratis.net :Neve - Orhan Pamuk
Nome: Neve - Orhan Pamuk
Nome Original:
Autor: Orhan Pamuk
Gênero: Literatura Estrangeira
Ano de Lançamento: 2006
Editora: Companhia das Letras
Sinopse: Este livro traz a história de Ka, poeta exilado na Alemanha, que viaja a uma pequena cidade turca sob o pretexto de investigar a onda de suicídios entre jovens muçulmanas que assola o vilarejo. Durante essa visita, uma nevasca bloqueia todas as estradas, insulando a cidade do resto do mundo. É nesse clima de isolamento que um veterano ator e sua mulher aproveitam para liderar um golpe militar. Embora tenha se distanciado da política há muitos anos, Ka é alçado a protagonista involuntário dessa revolução. Nada menos apropriado para um escritor cujos desejos são apenas registrar as poesias que lhe escapam há anos, mas que agora passam a fluir com extrema naturalidade, e se casar com Ìpek, antiga colega de escola. Mas o turbilhão provocado pelo golpe traz à tona a truculência das forças de segurança, antigos ajustes de contas e o radicalismo de alguns militantes islâmicos. Enquanto Ka tenta se equilibrar entre as diversas facções em choque, vê a cidade se tornar um microcosmo dos conflitos raciais, políticos e étnicos da Turquia, além de palco da sua tragédia pessoal.


sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

MEC divulga Projeto Pão e Poesia de Diovani Mendonça


Abaixo link com a matéria da TV ESCOLA sobre o projeto Pão e Poesia na Escola.

Em março, sob o patrocínio da V & M do Brasil (via LEIC/MG), retornaremos com as atividades do projeto na cidade de Brumadinho - MG. Serão mais 10 escolas atendidas por nossas oficinas de sensibilização poética.
Abraço,
Diovani

...

Sinopse
Em sua 8ª edição, a Semana de Poesia da TV Escola se dedica a falar da poesia em sua essência: os principais gêneros, a linguagem poética, poesia infantil, música e poesia, grandes poetas e os poemas que se tornaram parte do imaginário popular como “a pedra no caminho, Pasárgada, as aves que aqui gorjeiam e não gorjeiam como lá... Além dos grandes protagonistas da Semana, nossos Pequenos Leitores, Futuros Poetas, com os vídeos autorais enviados por escolas de todo o Brasil.

A programação da Semana de Poesia ainda conta com reportagens feitas em escolas de todo o país, no quadro TV Escola na Estrada, além de documentários especiais, entrevistas, quiz e o Fique Sabendo, com curiosidades literárias também nos intervalos da programação.

Duração
60 minutos

Série
8ª SEMANA DE POESIA



Embaixadora da Paz se recusa a dar explicações sobre plágio do Pão e Poesia

Poeta-Embaixadora da Paz plagia despudoradamente o Pão e Poesia

       Quando o empreendedor e poeta Diovani Mendonça começou, em idos de
2007, a regar e adubar sua “Árvore dos Poemas”  e concretizar e
divulgar seu “Pão e Poesia – em qualquer esquina, em qualquer
padaria”, ele não poderia imaginar o quão frondosa ficaria esta Árvore
com seus frutos e nem o sucesso das embalagens de pão (ecologicamente
corretas e fartas em versos) para mitigar a fome de boa cultura.

       Acontece que a Árvore cresceu mesmo, além de seus frutos-poemas,
virou selo editorial, lançou livros e o “Pão e Poesia” transcendeu
fronteiras. A ideia ganhou as ruas e se disseminou pelas padarias e
escolas.

       O poeta Diovani Mendonça tem levado o projeto desde 2008 para várias
escolas da região metropolitana de Belo Horizonte, onde os estudantes
participam de oficinas de poesia e se envolvem nas criações poéticas,
tendo seus versos selecionados e publicados nas embalagens que são
doadas às padarias no entorno das escolas participantes.  O “Pão e
Poesia na Escola”, é um desdobramento do “Pão e Poesia – em qualquer
esquina, em qualquer padaria”. Em 2011 a iniciativa foi executada em
10 escolas na região do Barreiro (BH) e a partir de março de 2012,
serão mais 10 instituições atendidas na cidade de Brumadinho (MG).


       Agora surgem os aproveitadores para colher os frutos nos galhos,
afoitos em pegar o bonde andando, bons vaidosos que são, vaidosos que
se utilizam da poesia como um trampolim, os ditos poetas sem ideias e
que quando pensam (o que pensam?) pensam em academias de letras, ou
renomes, ou honrarias, ou placas gravadas com seus sublimes nomes, ou
homenagens de prefeituras, ou títulos efêmeros.

       São assim colecionadores de medalhas, de cargos, de honrarias, e,
quando não, eles pouco hesitam em se autoproclamarem embaixadores,
presidentes, executores, representantes, que nada criam além de
plágio.

       Os promotores da paz que apenas promovem o próprio nome, os
embaixadores que representam apenas a si mesmos. Bons plagiadores que
apenas comprovam o dito cínico que 'nada se cria, nada se perde, tudo
se copia', que tudo assim passa de mão em mão, de acordo com a
sacrossanta ambição.

       Alguns bons cínicos realmente não hesitam em se dizerem inventores da
roda ou construtores do primeiro aeroplano ou criadores do universo,
são os donos da Paz, os mantenedores da Vida, são os eleitos da
Divindade.

       Acontece que um belo dia a máscara cai e a face real – cínica,
hipócrita, mesquinha – é desvelada a quem tem olhos para ver. Sob a
pele de ovelha a carranca do lobo, sob a oferta de paz a arma da
ambição. Atuam como bons políticos na arte de manipular 'corações
mentes', a seduzir sutilmente, a contagiar astutamente – de súbito, o
bote fatal. A serpente pronta para sufocar a vítima.

       Paz, prosperidade, fraternidade são apenas palavras, apenas discursos
pomposos, se não forem acompanhados de ações. E quando ações são
movidas apenas por vaidade – por vã vaidade – nada será colhido além
de discórdia, miséria e hostilidade.

       Não adianta sorrisos de maquilagem, ou abraços fraternos, ou 'paz e
amor' de gente que pouco esconde a bazófia, a arrogância e o
egocentrismo – não se pode negar o óbvio, não se pode mentir sempre.


       Assim quando Diovani Mendonça criou, viabilizou, concretizou,
divulgou, construiu uma história, ganhou dois reconhecimentos do
Ministério da Cultura de seu país, ele não podia prever os interesses
pseudoliterários de uma certa Sra. Delasnieve Daspet (que também
plagiou a Árvore dos Poemas, outra criação do poeta), nome pernóstico
que esconde uma alma ambiciosa e vaidosa, com auréola da pacifista e
altruísta – ó vã vaidade! - que se apropriou das ideias (formato,
marca, eventos!) a ponto de se dizer criadora, idealizadora,
empreendedora da Árvore dos Poemas e do Pão e Poesia.

       A pessoa se contradiz, ora diz que se inspirou em X ora que se
inspirou em antes de X, mas usa literalmente imagens e textos dos
projetos de Diovani Mendonça. As mesmas ideias e argumentações...! o
que impressiona é a trama de contradições, de inverdades, de cinismo,
de interesses, de campanha na mídia, e 'bola pra frente', continuam as
mentiras.

       Assim a verdade há de reluzir, ó autoproclamada presidente! Ó
auto-exaltada embaixadora! Ó autonomeada executora! Ó colecionadora de
títulos que ousa versos  e se autointitula poeta! Ó vaidosa que se
apropria de ideias e se diz criadora! Ó promotora da paz que colhe
litígios! Ó guru dos poetas de rebanho!

       Tanto cinismo é a prova da vaidade que pensa poder enganar a todos o
tempo todo, que pode roubar ideias sem correr o risco do desengano!
Que na mediocridade não cria o novo mas deixa-se banhar em glória
alheia, mirar-se no reflexo do sucesso alheio!

       Que a máscara do cinismo saiba guardar os 'abraços fraternos' e o
'paz e amor' para seus adoradores e cúmplices, seus fãs e lacaios,
mesquinhos ou de 'alma pequena' , que engolem as promessas de paz da
louvada embaixadora, presidente, executora, empreendedora,
representante, catedrática da vã vaidade dos pseudoliteratos que não
servem à Literatura, mas se servem da Literatura para seus interesses
de ambições hipocritamente ocultadas.


20jan12

Leonardo de Magalhaens

poeta e pensador
(sob responsabilidade do autor)

http://leoliteraturaescrita.blogspot.com

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Seguindo as orientações do Ministério da Saúde

Barkaça

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Dia logando com Barulhista





segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Belô Poético convida poetas de BH a ajudarem as vítimas da chuva


Volume de chuva em BH já equivale a 77% do esperado para janeiro

Brasília - Nos seis primeiros dias do ano, choveu em Belo Horizonte (MG) o equivalente a 77% do volume esperado para todo o mês de janeiro. O tempo permanece instável em quase todo o estado neste domingo. A Defesa Civil alerta para a tendência de grande volume de chuva especialmente no noroeste de Minas Gerais.

O órgão chama a atenção também para a possibilidade de novos deslizamentos, devido à situação do solo que está saturado por causa das chuvas que atingem intensamente o estado desde o fim do ano passado.

Permanece em 103 o número de municípios mineiros que estão em estado de emergência em decorrência dos estragos causados pelas chuvas, enchentes e deslizamentos. Mais 54 cidades foram afetadas, mas não decretaram situação de emergência.

O último boletim divulgado pela Defesa Civil informou que na noite de ontem (7) uma forte chuva atingiu o município de Ubá e elevou o nível do Rio Ribeirão Ubá, provocando inundações em vários pontos da cidade. Também foram registrados deslizamentos de encostas e algumas vias foram interditadas. Entretanto, não há mortos ou feridos até o momento.

Até agora, foram registradas 12 mortes e há duas pessoas desaparecidas em Santo Antônio do Rio Abaixo e União de Minas. Há 906 pessoas desabrigadas em todos o estado e quase 12 mil desalojados.



Publicado em 08/01/2012, 15:16, por Amanda Cieglinski, no site REDE BRASIL ATUAL





A poesia se solidariza com as vítimas das chuvas na capital mineira.

Poetas e simpatizantes da poesia residentes em Belo Horizonte, poderão ajudar as vítimas das chuvas na capital mineira. Basta fazer sua doação de leite em pó, roupas, material de limpeza, cobertores, colchões, fraldas descartáveis e utensílios domésticos.



Locais de doações:

· Cruz Vermelha: Alameda Ezequiel Dias, 427 – Santa Efigênia – Tel: 3224.2987

· Batalhões da Policia Militar, Hospital Militar e Corpos de Bombeiros.

· Arquidiocese de Belo Horizonte – Central de acolhida, Rua Além Paraíba, 208 – Lagoinha - Tel: 3422.7141

· Servas: Avenida Cristóvão Colombo, 683 – Funcionários.

· Boulervard Shopping: Avenida dos Andradas – Tel: 2571.7538

· Assembléia Legislativa do Estado de MG: Rua Rodrigues Caldas, 30 – Tel: 2108.7800

· Banco do Brasil: em parceria entre Servas, Defesa Civil e Banco do Brasil foi aberta conta bancária para arrecadas recursos. Conta: 64529-X - Agência 1229 – Tel: 3217.3595



Faça sua doação ou deposite qualquer valor na conta acima e nos comunique respondendo este e-mail (não precisa de nenhum documento para provar que fez a doação, confiamos na sua consciência). Você estará automaticamente inscrito no 8º Belô Poético-Encontro Nacional de Poesia de Belo Horizonte - que este ano acontecerá nos dias 26,27, 28 e 29 de julho - isentando-se da taxa de inscrição de R$ 15,00.



Para não esquecer John Lennon



Todas as coisas são iguais

terrivelmente iguais

quando não amamos

por isso neutros, seremos

estrangeiros onde estamos



o coração há de cantar

uma canção que se faz

sincera, quando existe paz



há o sol, que brilha

também o caminho, a trilha

em que se quer seguir



mas o arco-íris

apesar das dores

só terá as cores

se pudermos amar.



Rogério Salgado & Virgilene Araújo

(in “Tipo Exportação” Belô Poético-2004)

domingo, 8 de janeiro de 2012

Parque Nacional Cunaima na Venezuela




sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

A montanha mágica é sua - YouTube

A montanha mágica é sua - YouTube