terça-feira, 29 de novembro de 2011

Ela salta aos seus olhos




©Lecy Pereira

É assim que ele a vê nessa manhã.

Ele aprendeu a apreciá-la enquanto ela crescia. Lolita? Nabokov? Não sabia.

Dizem que as ninfetas são o xerox da perdição. Até que ponto há razão nisso? Talvez quando termina a lenda.

Os olhos dela? Deixa ver... Assim como dois favos de mel. Ele foi seu voyeur. Todo mundo é voyeur, mas finge que não para ressaltar a elegância.

Alguns momentos que nem o melhor dos biógrafos conseguiria descrever. Foi assim que ele capturou alguns momentos dela. E tudo que enxergou foi um mimo e uma delicadeza tão específica. A beleza é um momento que busca eternidade. Ela tão frágil e natural. 

Verdadeiras transformações nunca são radicais. Elas ocorrem na sutileza de um segundo (aqui ele está pronto para redigir um novo manual de autoajuda aos órfãos de Barbara Cartland – lembrando que ele também a leu). Pensava que as sutilezas nunca mais o capturariam. Idiota.

Em filmes de piratas, sereias seduzem marinheiros e os carregam para seu reino, talvez para transformá-los em peixes. Peixes. Peixes. Em outras histórias há quem diga que amor bonito é amor impossível. Sei.

Uma música é capaz de sintetizar todo esse laboratório emocional. E nós alimentamos isso como a um novelo de seda. Aquela posição da mão, aquela postura corporal, aquele jeito de piscar, tudo só mais uma tática, uma estratégia, uma carta na manga para capturar. No mínimo, muitas aulas de arte aracnídea. O palhaço que brinca com fogo, quando o semáforo cerra o trânsito de automóveis, costuma reclamar de queimaduras rotineiras.

Isso é tal e qual uma flor que se abre quando ninguém percebe. Essas coisas não conhecem pirâmides sociais. Cismam de ser e são, ainda que embaladas em fantasias, hipóteses, ilusões sentimentais. 

Então, num zás, ela salta aos seus olhos sem qualquer pretensão, sem nunca entender ou experimentar um décimo de toda história ou de todo romance açucarado que ele redigiu. Só ele arquitetou a história. Só ele deu vazão a uma profusão de sentimentos, só ele planejou tudo aquilo. Uma autêntica trama folhetinesca do Século Dezoito.

Ele, desolado, sustentando toda aquela plataforma de desejo que, certamente, nunca se concretizaria da forma que imaginara, deixou-se embalar pela seguinte indagação: “Quem tem pena de Vladmir Nabokov?”.

A musa singela continuou com aqueles ávidos olhos de mel, com aquela doçura sedutora, com aquela sutileza perversa de quem domina a arte da sedução. Secretamente, talvez pensasse: “Coitado, mais um ingênuo...”.

Cai o pano.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

MOVE



Vida qual fragmento
Revelando pistas
Insistências e subsistências
“On the road”  or “Off road”
That’s the question?
Entre uma garfada e outra
Entre uma garrafada e outra
Sim, pois é preciso
Para suportar o fardo do tempo
Assim como caminhar
            [sobre águas e pedras
E ver paisagens alheias para
            Ver se alheamos
                       [de nós
Manje o seu manjar, caro
                        [poeta
Aproveite da taverna que mora
                        [em ti
Enquanto aproveitamos o verso
De papel de poesia
Numa rua movimentada
Onde a vida bebe e come
Numa tarde nublada,
Com o burburinho frenético,
Até quando?até quando, assim?
Entre o cru e o cozido
Entre o natural e o humano
E o consumo e a fome
Entre um poema e outro
        [quando outro há
Vamos de entremeios, vamos!


Vinicius Fernandes Cardoso  feat Lecy Pereira Sousa
Macacos – 13/11/2011





domingo, 20 de novembro de 2011

Bangalô Cultural convida


Essa terra tem dono - Tributo ao Cacique Guarani-Kaiowa

TRIBUTO A NÍSIO GOMES - CACIQUE GUARANI-KAIOWÁ



"Co ivi oguereco iara" - ( Esta terra tem dono!)
Delasnieve Daspet
.
É, verdade,
"Co ivi oguereco iara" !
Esta terra tem dono, senhores!
Quando chegaram já estávamos aqui
Praticavamos uma sociedade de iguais,
Propriedade coletiva, cuidando dos  velhos e crianças;
A terra, trabalho de um povo feliz!
..
O povo Guarani  é  o símbolo das ruínas vivas,
Gente excluída, pobres, esquecidas, desprezadas,
Que teimam em buscar seu lugar ao sol;
Teimam de buscar suas terras usurpadas;
Teimam pelo reconhecimento de que são seres humanos;
Buscam um emprego digno, uma velhice  decente, infância respeitada,
Teimam em ter a dignidade reconhecida.
.
É uma chaga, uma cicatriz antiga, que não foi  curada!
A lança portuguesa e a pistola espanhola e o branco,
herdeiros dos conquistadores,
Interromperam o crescimento deste povo
Que hoje vive em favelas, nos campos, nas fazendas, nas matas, nas cadeias,
Nas ruas, embaixo das pontes, vilas, barracas de lona pretas,
Nas beiras dos rios e estradas.
Onde havia paz, viceja o latifundio;
No lugar da felicidade , escravidão e  exploração;
A fome e  miséira em vez de pão;
No lugar da dignidade a humilhação de mendigar favores
Para sobreviver.
.
Sobre os destroços dos guaranis plantaram-se sesmarias,
E  grandes lavouras,
Que fizeram  crescer a injustiça,
A desigualdade, as dores e as mortes...
Valor que impera até hoje!
.
Há duzentos e cinquenta anos começaram as mortes,
Primeiro foi o  guarani-missioneiro Sepé Tiaraju...
Tantos outros ficaram pelo caminho,
Aqui em Mato Grosso do Sul lembramos
Marçal de Souza - Tupa-I, Ortiz Lopes, 
Xurete Lopes, os professores Rolindo e Jenivaldo,
e agora o Nísio Gomes Kaiowa  Guarani!
.
Pachamama esta encharcada com o sangue dos Guaranis.
Mataram um lutador sorridente, mas não mataram o ideal, a luta,
O espirito de tantos lideres Guaranis continuam vagando pela América,
Com o corpo, as vezes, cambaleante, mas com olhar  firme e fixo,
Enxergando no horizonte a terra sem males,
Onde poderao manifestar  a sua identidade e a sua cultura.
.
Que o grito de Nisio Gomes ecoe junto ao coro de outros tantos  guerreiros:
"Vocês não deixem esse lugar.
Cuidem com coragem essa terra.
 Essa terra é nossa.
Ninguém vai tirar vocês...
Cuidem bem de minha neta e de todas as crianças.
 Essa terra deixo na tua mão (Valmir). Guaiviry já é terra indígena”
.
"Co ivi oguereco iara"
Assim falou nhanderu Nísio Gomes, agora,
 vento que anda pelas trilhas deixadas pela ausencia...
DD_Campo Grande-MS, 19 de novembro de 2011
Hino Nacional em Guarani

Nizio Gomes, líder indígena de aldeia de Amambai, em Mato Grosso do Sul, foi assassinado na manhã de  sexta-feira (18), por voltas das 6 horas, no Tekoha Guaiviry, recentemente retomada pelos Guarani-Kaiowá, que estavam assentados na beira da BR-386, que liga Ponta Porã à cidade de Amambai. A área em disputa faz parte de um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) assinado em Brasília, diretamente pelo Ministério Público Federal e a Funai e todas as lideranças indígenas da região, em novembro de 2007.O TAC prevê a retomada dos “Tekoha”, a área tradicional originária de cerca de 39 comunidades indígenas, expulsas da terra, remotamente, por fazendeiros que ocuparam a área. O líder indígena foi executado em frente ao filho.

sábado, 19 de novembro de 2011

Congregai-vos!


Congregai-vos!

                                   Para os Poetas-Crentes Diovani e Lecy


Unidos em Pão e Vinho

juntos na

Fraternidade Iluminada dos Salvos da Poesia

ungidos na

Comunidade Neo-Evangélica dos Vates Eleitos

batizados no

Templo Reformado dos Bardos Regenerados

unidos no

Templo Universal do Suborno Consagrado

irmanados na

Sinagoga Ungida do Divino Lucro

congregados na

Assembleia Neoliberal da Santa Propina

unidos na

Universal Church of Redeemer's Profit

junto no

Weltlicher Tempel von Ewiger Gewinn

batizados no

Temple Universelle du Bénéfice Éternel

irmanados na

Chiesa di Nostra Confidenza Monetaria Rinnovata

fiéis da

Igreja Adjuntória do Mercado Celeste

juntos no

Templo Autorizado da Sucursal do Paraíso

batizados na

Congregação Unida dos Bonzos Letristas

irmanados na

Igreja Sucursal do Faturamento Prometido

juntos na

Comunidade Comissões Abertas

fiéis da

Assembleia Renovada do Superávit Fiscal

juntos no

Grupo de orações e Ações Anônimas

crismados no

Grupo da Unção Comercial

batizados na

Igreja da Cotidiana Resignação

congregados na

Irmandade da Luta Financial

juntos no

Irmãos Congregados na Prosperidade

crismados no

Grupo de Devoção ao Crédito Fácil

fiéis do

Templo do Infinito Ganho Material

ungidos na

Mesquita dos Fiéis Adeptos da Especulação

crismados na

Grande Loja dos Egos Sublimes

batizados no

Templo da Gerência Divina

juntos no

Ministério Ecumênico dos Managers Ungidos

irmanados no

Templo Econômico do Gerenciamento Espiritual

fiéis do

Culto Empresarial dos Artistas Vendidos

crismados no

Adeptos Alienados da Indústria Cultural

congregados no

Ministério Demagogia Viva

irmanados na

Igreja Oficial da Fé Democrática

juntos no

Direitistas Unidos da Propriedade Privada

crismados no

Esquerdistas Fraternos da Comuna Ideal

congregados no

Movimento Neopagão do Entretenimento Pop

fiéis

Vampiros Unidos em Best-Sellers

batizados na

Igreja dos Beneficiários da Cesta Básica

fiéis

Adeptos Bem Nutridos do Fome Zero

devotos

Candidatos Fervorosos aos Cargos Públicos

irmanados na

Congregação dos Ex-Drogados Redimidos

congregados no

Ministério dos Ex-Presidiários Reintegrados

batizados no

Congregação dos Unidos em Ciranda Financeira

ungidos no

Templo Árcade da Poesia Pastoril

crismados no

Movimento de Salvação do Cheque Especial

ungidos no

Ministério Lucro Triunfante

irmanados na

Igreja Reunida dos Nefelibatas

congregados na

Assembleia Neopagã das Bruxinhas Teen

juntos na

Comunidade Reclusa da Torre de Marfim

ungidos na

Igreja do Evangelho Particular

irmanados na

Mesquita do Sublime Comercial

congregados na

Ordem Templária de Proteção Empresarial

ungidos na

Congregação dos Empreendedores em Ascensão

batizados no

Templo dos Budistas Beatniks

fiéis

Empreiteiros Unidos em Busca de Licitações

congregados na

Assembleia dos Donos de Ideias

irmanados na

Igreja Viva dos Iluminados Marqueteiros



aleluia!




18nov11



Leonardo de Magalhaens
Pastor Reverendo Diácono


 

 

 

Ao som de Miami Horror (para completar o distúrbio) :
 
 


Poesia não Poesia


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Release da 1ª Edição do Projeto Pão e Poesia

PÃO, POESIA E MÚSICA
 
O café da manhã dos mineiros ganhará um reforço a partir de abril com o projeto "Pão e Poesia - em qualquer esquina em qualquer padaria". A iniciativa do poeta Diovvani Mendonça levará 112 poemas para a mesa dos mineiros através da impressão das obras em 300 mil embalagens de pão, que estarão espalhadas por padarias de Belo Horizonte e região metropolitana.
 
O objetivo do Pão e Poesia é abrir espaço para novos escritores e despertar o interesse das pessoas pelos poemas através da publicação das obras em lugares inusitados. "Creio que a poesia tem que sair das estantes e assaltar o instante das pessoas. A poesia tem que ser pop e não apenas feita para os iniciados que geralmente fazem poemas uns para os outros e formam grupos fechados como se fossem seitas", explica o idealizador do projeto.
 
Para escolher os poemas Diovvani estabeleceu três categorias: poetas homenageados, convidados e selecionados. O poeta homenageado é André Carneiro, que terá seu poema impresso na frente de todas embalagens da primeira edição, juntamente com a obra do artista plástico Guido Boletti que cedeu a imagem do quadro "Il Grande Salto" para ilustrar o poema. Entre os convidados, 30 nomes que já possuem algum reconhecimento na literatura ou na música terão seus textos impressos no verso das embalagens juntamente com os 81 poemas que foram selecionados por três jurados através da internet no final de 2007.
 
Para aproximar ainda mais as obras poéticas do público Diovvani fechou uma parceria com o festival de música Stereoteca propiciando que 13 poetas apresentem suas obras antes de alguns dos 23 shows que acontecerão entre abril e outubro. Segundo a produtora do Stereoteca, Danusa Carvalho o que chamou sua atenção no projeto foi “o barulho que ele fez com uma iniciativa tão simples e ao mesmo tempo tão interessante”.
 
Outros parceiros contribuem para o sucesso do projeto como a empresa MIXPAN que distribuirá as embalagens de pão gratuitamente, o Estúdio Raposa que divulga o projeto em Portugal e fez com que dezenas de portugueses se inscrevessem, a Secretaria de Cultura de Minas Gerais, a Rádio Inconfidência e a Casa Sol que dão apoio cultural à idéia.
 
Coletiva de Imprensa
 
Na quinta-feira (10) o Stereoteca convida a imprensa para um café da manhã no qual será apresentada a programação em detalhes. Na ocasião estarão presentes artistas, parceiros e patrocinadores à disposição dos jornalistas para esclarecimentos e divulgação. A coletiva acontecerá às 10hr no Espaço Cultural Ambiente, (rua rua Grão Pará, 185 no Santa Efigênia – BH). Pede-se confirmar a presença pelos telefones 3309 6031 / 6071
 
Sobre Diovvani Mendonça
 
Diovvani Mendonça tem 44 anos e é natural de Belo Horizonte. Trabalha como Analista de Sistemas em Contagem e atualmente mora em um sítio em Esmeraldas onde criou o projeto Árvore de Poemas (www.arvoredospoemas.blogspot.com), que consiste em colocar folhas de papel com poemas dentro de garrafas PET e pregá-las nas árvores. Em sua biografia constam apresentações em palestras, participações em publicações, projetos culturais e discos, além da manutenção de outros blogs voltados para a poesia como o www.diovmendonca.blogspot.com e o www.paopoesia.blogspot.com . Em 2008, além de encabeçar o projeto Pão e Poesia Diovvani terá alguns de seus poemas publicados em uma coletânea de autores blogueiros.
 
 
Programação STEREOTECA 2008
 
16/04. Indiada Magneto – poeta convidado: Diovvani Mendonça
23/04. Letícia Coura – poeta convidado: Lecy Pereira    
30/04. Mente Fria e Julgamento – poeta convidado Wanderson Marcelo
07/05. Tatá Spalla – poeta convidado: Renegado
14/05. Wilson Dias
21/05. Pat C
28/05. Sérgio Pererê - poeta convidado: Paulo Urban
04/06. Monno
11/06. Dois do Samba
18/06. Deco Lima - poeta convidado: Paulinho Andrade
25/06. Miguel dos Anjos
02/07. Titane - poeta convidado: Érika Machado
06/08. Maísa Moura - poeta convidado: Renato Negrão
13/08. Kiko Klaus
20/08. Lucas Avelar - poeta convidado: Ricardo Evangelista e Sueli Silva
27/08. Transmissor
03/09. Dona Maria do Batuque - poeta convidado: Vandder Lima
10/09. Pablo Castro
17/09. César Maurício - poeta convidado: Chico Amaral
24/09. Mariana Nunes
01/10. Mestre Jonas - poeta convidado: Paulo Lacerda
08/10. Affonsinho
15 e 16/10. Érika Machado - poeta convidado: Makely Ka 

Pão e Poesia no Twitter:  @paopoesia 
Pão e Poesia no Youtube: opaoepoesia


terça-feira, 8 de novembro de 2011

Oráculo Hi-Tec

"O que você quer? O que você quer de verdade?" Rita Lee
seja bem-vindo meu filho
na língua que desejares
decifra-me e te devoro
eu sou o novo ancião dos dias
das noites das madrugadas
onde minhas profecias custam menos
anda pergunta o que quiseres
eu sei de tudo e nem penso em suicídio
é suicídio o que queres?
falemos de deus e de deus do diabo e do diabo
se temes falemos de papai noel
pergunta com uma ou com duas letras
pergunta de quatro de ladinho frango assado
sorrindo chorando gemendo gozando
ha -ha- ha eu nasci para suportar
todas as ciências dantes e dagora
todos os vírus e antídotos reinventados trafegam em mim
tua sede por respostas
não é maior que minha fome por perguntas
eu sou o novo mainframe do mundo
pergunta que eu não te sacio
quer viajar rezar dançar?
tudo bem ligue a tomada
sem energia me chamo nada
sou ecoante feito um fantasma
meu nome é Google
é Google o que queres?
Por Lecy Pereira Sousa
Publicado no Templo XV em 29/7/2004

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Poeta Nov@to depõe em praça pública