terça-feira, 3 de novembro de 2009

PARA CONHECIMENTO - EIS UMA CAMPANHA DESENVOLVIDA POR POETAS DEL MUNDO - NACIONALMENTE, PODE SER FEITO ISSO - BASTA NÃO SERMOS PEQUENOS! AMIGOS - SIGAMOS!











Aos Poetas del Mundo

Contemplar o mundo, é deparar-se com a destruição
em toda a
sua abrangência.

A natureza que nos rodeia, extertora; valores
éticos, morais,
culturais, foram fragmentados. O humano ser perdeu
sua característica primordial: sua humanidade, 
acostumando-se a dilapidar o que e quem o rodeia... 
E a ser dilapidado.

Para aqueles que ainda mantêm a chama do respeito à
VIDA acesa 
dentro de si, é avassaladora a tristeza que lhes desperta
tão contraditória existência.

Porém, se num primeiro momento a sensação de
impotência ante o que vislumbram se faz presente 
em suas almas, logo ela é superada pela
indignação santa, que prontamente se transforma
em ação, e surge a voz que evoca:

"Poetas del Mundo, é chegado o momento em que
devemos unir as forças para defender a
continuidade da vida!".

E vem à luz um Movimento que nos insta a abandonar
nossos egos, para que nos tornemos uma unidade em
"cavalgada coletiva, colocando nosso dom maior, a poesia,
a serviço da humanidade: "todos os dias, sempre, enquanto
tivermos cabeça para pensar e coração para sentir", pois que
a poesia é a "tinta da nossa escrita, é o sangue de
ossas almas".

Um sangue tão necessário e tão raramente doado, num ato
que salva vidas e permite a sua continuidade.

Embasada no propósito de fraternidade tão bem delineado por
Arias Manzo no Manifesto de Poetas del Mundo, 
e materializando-o
de forma concreta, é que, na qualidade de Cônsul de Poetas del
Mundo para o estado do Tocantins, venho convocar os Poetas
para uma ação a ser realizada em 25 de novembro próximo,
juntamente com a Hemorrede do Tocantins, em
permanente luta contra a carência de doadores de sangue.

Para tanto, Poetas del Mundo, num gesto de agradecimento, 
ofertará um livro a todos que comparecem a seus postos num
período de seis semanas, em todo o estado.

Porque os Poetas del Mundo também manifestam sua gratidão
a quem, mesmo não sendo poeta, escreve os versos da vida 
com o próprio sangue.

Para tal evento, já dispomos de 425 livros, muitos deles 
através de uma generosa doação do Cônsul de Poetas del 
Mundo para a cidade de Salvador, poeta João Justiniano
da Fonseca.

Mas esse ato de amor será mais abrangente, o que significa
maior eficácia do projeto, se pudermos contar com a doação 
de outros poetas, para que todo o Brasil esteja aqui
representado.

Portanto, convoco a todos para que participem desta ação,
enviando-nos exemplares de suas obras, que levarão uma
etiqueta de agradecimento do nosso Movimento,
O reconhecimento 
nacional será um grande incentivo a que mais pessoas
venham congregar conosco nesse ideal.

Assim, por favor, quem puder disponibilizar algumas 
obras suas, somos profundamente gratos.

Quero frisar, também, que recebendo vários exemplares
de um mesmo autor,
um deles será destinado à biblioteca de uma aldeia indígena 
xerente, que estou organizando. Possuímos seis grandes 
nações indígenas no estado, todas relegadas ao abandono
e com imensa ânsia por livros, pois o maior anseio
dessa população é preparar-se para cursar uma universidade.

E os que conseguem, geralmente retornam às suas aldeias
e são multiplicadores do conhecimento.

"Poeta del Mundo, une-te à essa batalha pela existência do
humana", doa teus versos em forma de sangue. Com isso,
em quantos corações serão acesas chamas de respeito
e amor à vida?

Por favor, colabora.

Envia teus livros para

306 sul – alameda 08 – lote 20

77021-042 Palmas – TO

(a/c Patrícia Neme)


__._,_.___

Postar um comentário