quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Giordano Bruno fala aos seus julgadores (CARLOS NEJAR)



CARLOS NEJAR


GIORDANO BRUNO FALA AOS SEUS JULGADORES

Não é a mim
que condenais.

Nada podeis
roubar-me.
A verdade sofreu
e eu sofri
no grão dos ossos.

A vida não me veio
para mim.
E servirei de vau
a seu moinho.

Não cedo
o que aprendi,

Prefiro o fogo
à vossa complacência.
E o fogo não remói
o que está vendo.
Abre flancos
no avental
das cinzas esbraseadas.

O fogo
de flamejante língua
e sem coleira
morde.
E testemunha
sem favor dos anjos.

Não é a mim
que condenais.

A Inquisição
vos fragmentou
e ao vosso juízo.
A ciência toda
á apreência de outra
que nada em nós
como se fora água
do coração.


Carlos Nejar


Postar um comentário