sábado, 3 de maio de 2008

Esperando Neruda


Esperando Neruda
Obra Premiada!
poema
Categoria: Amizade
564 leituras Ele reuniu mais de 100 mil pessoas no Maracanã, sem ser brasileiro, nos anos 70, para ouvirem poesia. Quem entende o coração?
Num bosque chileno
donde ele saiu a cantar,
nas areias do deserto,
no Temuco*, numa praça
em Santiago, na esquina
de uma canção desesperada,
numa flor de lótus,
com mil caracóis cintilantes,
com máscaras de todas as partes do mundo:
-Espero Pablo e não" hablo" espanhol.
Ouço seu Canto Geral
e o aguardo no azul violento.
Espero Pablo no ego d"outros
poetas menores alheios ao Nobel.
Espero nalguma estação do mundo,
num dia mais escuro que a noite,
numa taberna da sua mocidade,
nos olhos de um peixe do mar profundo.
Espero no cimo das cordilheiras
donde é facílimo tocar os céus,
na missiva levada pelo carteiro
ele há de estar, nas pupilas do lavrador
e no cheiro do boldo chileno.
Espero Pablo na boca de um ser
apaixonado pela luz,
no mais belo horizonte, por detrás de uma serra.
Eu espero Pablo na ternura dum coração de aço
e na fugacidade de toda lágrima.
E então, sobre nuvens a prova de ódio,
cantaremos, até perder a voz,
a paz inextingüível.

(*)pequena cidade chilena, onde nasceu o poeta Pablo Neruda.
Por Lecy Pereira Sousa
Publicado no Templo XV em 21/4/2003
Escrito pelo autor em 14/7/1999



Postar um comentário